Seguidores Leais

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Homem é preso após "alisar" PM feminina dentro de ônibus lotado em Vitória - ES



Um garçom foi preso suspeito de abuso sexual na manhã desta segunda-feira (29) em Vitória. De acordo com a polícia, Flávio Padilha Valeriano teria tocado em uma mulher dentro de um ônibus do Sistema Transcol.

O homem teria aproveitado que o coletivo estava lotado para cometer o assédio contra a passageira. O garçom só não contava que a vítima fosse uma soldado da Polícia Militar do Espírito Santo, que estava à paisana.

O caso foi parar no DPJ de Vitória. “Estava de costas para ele e ele começou a passar a mão em mim. Eu olhei para ele e falei para ele se afastar e ele se afastou. Depois de uns dez minutos, ele ficou atrás de mim de novo e voltou a passar a mão”, disse a policial que não foi identificada.

Primeiro, ela usou spray de pimenta e, depois, a pistola ponto 40, que usa no trabalho, para dar voz de prisão ao agressor. “Peguei minha arma, joguei spray nele e dei voz de prisão. Fiquei esperando o apoio da viatura”, contou a soldado.

O abuso começou quando o ônibus da linha 515 passava na altura do trevo de Alto Laje, em Cariacica. De acordo com a soldado, os passageiros, que já estavam irritados com o congestionamento no trânsito, ficaram ainda mais revoltados com o ataque do garçom contra ela.

“No primeiro momento ele disse que eu tinha me enganado, que estava consertando a mochila. Depois ele confirmou para o sargento que tinha mesmo feito na primeira vez e depois se arrependeu. Só que ele fez a primeira vez, eu mandei ele sair de perto e depois, ele voltou e fez de novo”, comentou a mulher. 

Ao revistarem o garçom, os policiais encontraram no bolso dele um conto erótico. “Ele só falou que olhou, ficou encantado e não conseguiu se controlar. O desejo dele foi mais forte, mas hoje ele dançou”, disse o sargento Weverton.


O sargento dá orientações para outras supostas vítimas de constrangimento como este. “Que a senhora ou senhorita desça do ônibus, anote a numeração do coletivo e o destino, e acione o 190 porque nós vamos fazer o bloqueio e achar o meliante”, alertou o sargento. “Com certeza ele fez isso com outras mulheres e elas não fizeram nada. Sendo trazido para o DPJ, talvez ele aprenda e não faça isso com outras pessoas”, concluiu a PM.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba automaticamente o nosso conteúdo por e-mail

Digite o seu e-mail:

a união é a nossa força